Podemos construir um mundo melhor, isso só depende de cada um de nós.


Trânsito: um pouco mais de engenharia ajudaria muito

Trânsito: um pouco mais de engenharia ajudaria muito

 

“O tempo de agir é agora.”

                 Fernando Diniz

 

Estudiosos do assunto compreendem que o trinômio engenharia, esforço legal (fiscalização) e educação no trânsito resolveriam os problemas atualmente vivenciados nas vias do Brasil, lógico sendo essas ações desenvolvidas sem interrupções e com a colaboração da sociedade. As Organizações das Nações Unidas (ONU) somam ao tripé citado, um maior investimento do poder público em primeiros socorros às vítimas de acidentes de trânsito, bem como uma efetiva punição daqueles que cometem infrações e crime no trânsito.

 

A engenharia de trânsito é uma das finalidades dos Órgãos e Entidades que compõem o Sistema Nacional de Trânsito (SNT), isso nós podemos ver no Art. 5º da Lei 9.503/97 - Código de Trânsito Brasileiro – (CTB). Macapá, Santana, Laranjal do Jari e Oiapoque onde temos as maiores frotas de veículos registrados respectivamente, não têm uma malha viária com engenharia adequada à realidade atual, um exemplo disso é Macapá, onde observamos poucas mudanças no que tange a essa estrutura viária (ruas e avenidas) antiga e com um complicador, a trafegabilidade está bem prejudicada, principalmente pelas péssimas condições das vias, muitos buracos. Com mais investimentos em engenharia teríamos uma melhor fluidez e menos acidentes e mortes no trânsito amapaense.

 

A Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac) é quem deve realizar a engenharia de trânsito no que concerne a sinalização viária da Capital, isso está no Art. 24 do CTB, também podem buscar apoio junto ao DETRAN-AP para em conjunto trabalharem isso. Cabe a CTMac trabalhar objetivamente formas para dar fluidez e segurança viária ao trânsito macapaense. Algumas medidas poderiam contribuir com isso, como: a criação de corredores e faixas exclusivas para o transporte público, criação de mais ciclovias e ciclofaixas, controle de tráfego através de agentes de trânsito e do uso de tecnologias, mais sinalização e revitalização das que estão com deficiência, utilização do setor educação dessa autarquia, sugestões somente. Temos vistos trabalhos em conjunto da CTMac e do DETRAN-AP, mas ainda timidamente. A sociedade quer bem mais, os problemas do trânsito necessitam de ações pontuais e que resolvam a curto, médio e longo prazo o caos hoje existente.

 

Aos cidadãos e cidadãs, o poder público pode ser acionado por danos causados a esses no trânsito, a saber, no Art. 1º; § 3º do CTB.

 

A sociedade deve cobrar do poder público medidas que garantam a segurança viária, mas também deve participar ativamente das discussões, programas e ações que objetivem isso. Temos direitos e deveres para com o trânsito. Não devemos somente cobrar, devemos também contribuir.

 

Os Órgãos e Entidades que compõem o SNT no Amapá devem agir agora, pois amanhã pode ser tarde demais.

 

 

Alex João Costa Gomes – Bacharel e Licenciado em História - UNIFAP; Policial Militar e Ex-Diretor-Presidente do DETRAN-AP


Comente:

Nenhum comentário foi encontrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!