Podemos construir um mundo melhor, isso só depende de cada um de nós.


Qui estis usquam Joaquim Barbosa?

Qui estis usquam Joaquim Barbosa?

09/07/2013

Por Cláudio Nunes

 

Será que ele representa mesmo o sonho de justiça?

 

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

 


Afinal, quem é Joaquim Barbosa? A grande imprensa nacional e as redes sociais passaram a ver em Joaquim Barbosa, após o julgamento da Ação Penal 470 (Mensalão), um super-heroi, chegando alguns a compará-lo com o Batman do cinema e das revistas em quadrinhos, a exemplo da revista Veja. Mas será que Joaquim Barbosa representa mesmo o sonho de justiça e encarna o arauto da moralidade tão acalentado pelos brasileiros?


 
Para responder a esta indagação, faz-se necessário divisar a atuação de Joaquim Barbosa no STF antes e depois do Julgamento do Mensalão. Numa regressão histórica, tem-se que desde o ingresso na Suprema Corte, o "Batman" era visto pelos operadores do direito que atuam naquele Sodalício como o menos produtivo dos Ministros, pois era o que menos julgava. Noutras palavras, se fosse um juiz de primeiro grau, jamais seria promovido por merecimento, quiçá por antiguidade. A própria revista Veja que hoje o idolatra, chegou, por algumas ocasiões, a realizar matérias dizendo que Joaquim Barbosa alegava está com problemas de saúde que o impossibilitavam de comparecer às sessões do STF, mas que não o impediam de frequentar os botequins de Brasília para tomar um bom chopp regado a uma boa conversa com os amigos. Então, para esses mesmos veículos de comunicação que hoje incensam o Ministro, antes, para eles, Joaquim Barbosa não passava, por assim dizer, sem utilização de eufemismos, de um preguiçoso.

 

E eis que surge o julgamento do Mensalão tendo por relator o Ministro Joaquim Barbosa, este mesmo que até então era figura opaca na Excelsa Corte, a não ser pelos seus costumeiros arroubos e excessos. A partir daí tudo começa a mudar. O antes improdutivo Ministro passa agora à condição de paladino maior da "justiça", isso porque emparedou os chamados mensaleiros e colocou "freio de arrumação na Casa", utilizando-se, segundo os juristas, de teorias ou de doutrinas jamais aplicadas nos nossos tribunais, a exemplo da teoria alemã do domínio do fato, efetivada, na ocasião, à brasileira. Pior do que isso, propôs a aplicação retroativa da lei penal para prejudicar alguns dos réus, o que é absolutamente vedado pela Constituição Federal, vedação essa que é do conhecimento até do mundo mineral! Mas, para aqueles que adoram a ribalta, vale à pena sacrificar alguns princípios tencionando atingir os fins que acreditam legítimos. Com efeito, o nosso "Batman" não se apresenta à nação apenas como o chefe de um dos poderes constituídos. Ele parece querer mais... quem sabe informalmente ser o chefe de todos os poderes e de um hipotético e histórico Poder Moderador. Talvez, em meio a pensamentos e devaneios, ele diga a si mesmo: "LÉtat cest moi (O Estado sou eu)".

 

A despeito disso, o nosso "Batman" parece navegar num mar de popularidade nunca visto na Suprema Corte. É um verdadeiro pop star. Aquele que será lembrando por ter condenado, prendido e arrebentado com os mensaleiros do PT. Mas e onde estão os mensaleiro do DEM e do PSDB? Serão julgados algum dia? E o "Batman", nesse prospectivo e imaginável julgamento, terá essa mesma intrepidez e verborragia para proferir palavras de ordem como se estivesse num palanque falando para uma multidão que hipnotizada o aclama reverentemente?

 

Mas, como tudo na vida, por mais que se voe em céu de brigadeiro, sempre há alguma turbulência no caminho. O portal Uol e outros veículos de comunicação noticiaram semana passada que o Ministro Joaquim Barbosa fez uso de aeronave da FAB para assistir à partida de futebol entre Brasil e Espanha, no que foi acompanhado no gesto por Henrique Alves e Renan Calheiros... "tutti buona gente". Mas até aí alguns podem dizer que foi apenas um deslize, uma pequena derrapagem que não impedirá uma rápida e eficiente correção de rumo, afinal não podemos perder o nosso "herói". Todavia, neste último final de semana, a imprensa nacional voltou a divulgar que Joaquim Barbosa, o nosso "herói", andou recebendo R$ 580 mil de benefícios que antes criticara ( https://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/07/1307602-barbosa-recebeu-r-580-mil-em-beneficios-atrasados.shtml ).

 

Não se está aqui objetivando descontruir a imagem do nosso "herói", mas apenas buscando uma reflexão sobre a verdadeira face desse homem público, que a exemplo do alter ego do Batman de Gotham City, Bruce Wayne, tem uma imagem nebulosa e obscura, desconhecida do seu respeitável público ... não à toa que é conhecido como o "Cavaleiro das Trevas".

 

Fonte: Infonet


Comente:

Nenhum comentário foi encontrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!