Podemos construir um mundo melhor, isso só depende de cada um de nós.


Popularidade de Dilma cai de 57% para 30%

Popularidade de Dilma cai de 57% para 30%

 

A popularidade da presidente não passou ilesa pela onda de protestos que tomou conta do país, segundo pesquisa Datafolha

 

Por Lucinthya Gomes

 

Após o início das manifestações, a popularidade da presidente Dilma Rousseff (PT) despencou quase pela metade. Segundo pesquisa Datafolha divulgada no jornal Folha de S. Paulo neste sábado, em três semanas, a avaliação positiva do Governo Dilma caiu de 57% para 30%. Este é o percentual dos que consideram hoje a gestão boa ou ótima. Em contrapartida, o percentual de quem considera a gestão ruim ou péssima cresceu de 9%, desde o início do mês, para atuais 25%.

 

Em março, a aprovação de Dilma era 65%. A drástica queda na aprovação de Dilma, entre uma pesquisa e outra, só é comparada ao desempenho de Fernando Collor de Mello, em 1990, quando lançou seu plano econômico, caracterizado pelo confisco da poupança dos brasileiros.

 

Para o deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB/CE), o resultado apresentado pelo Datafolha mostra que a partir das manifestações, a população despertou e percebeu que há uma distância muito grande do discurso para a prática. “Essas mobilizações fizeram cair o ‘véu da noiva’, a ideia de que tudo estava bem, que a população estava inclusa socialmente. Efetivamente as coisas não estão em termos de serviços públicos atendendo às necessidades da população”, afirmou. Segundo ele, a presidente só tem condição de recuperar aprovação com choque de gestão.

 

Já o deputado federal José Guimarães, líder do PT na Câmara dos Deputados, a pesquisa revela um dado de momento, que não é definitivo, nem deve ser motivo de apavoramento. “Com o que aconteceu no país, todos foram abalados. Se fizerem pesquisas sobre governadores, provavelmente vão estar com popularidade em queda. Temos que interpretar isso como necessidade de fazermos mudanças profundas”, defendeu o parlamentar.

 

Na avaliação de José Guimarães, para garantir mais investimentos em saúde e educação, é necessário fazer uma minireforma tributária, que tenha como centro a taxação das grandes fortunas.
 

O quê

 

ENTENDA A NOTÍCIA

 

As manifestações têm sido pautadas pela aversão aos partidos e ao modo de fazer política. A pesquisa revela uma queda na avaliação de Dilma, mas ainda não expressa como demais lideranças foram afetadas.

 

 

Fonte: O Povo online


Comente:

Nenhum comentário foi encontrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!