Podemos construir um mundo melhor, isso só depende de cada um de nós.


Cerca de 44 pedestres morrem por dia no Brasil

14/08/2015

 

Por Mariana Czerwonka

 

O dado é assustador. Trafegar nas ruas como pedestre é por si só uma condição de risco

 

Em 2014 foram pagas, pelo DPVAT, 16.252 indenizações por morte de pedestres no trânsito. Esse número representa 31% do total de indenizações pagas por morte no trânsito de janeiro a dezembro de 2014, que foi de 52.226. O número de indenizações por invalidez permanente, resultante de atropelamentos, também assusta: 115.720 de um total de 595.693, ou seja, 20%. 

 

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) responsabiliza os condutores pela segurança dos pedestres, porém para evitar atropelamentos, todos devem tomar cuidado, pois algumas atitudes dos pedestres também contribuem para a ocorrência desse tipo de acidente.

 

Dicas para os pedestres

 

O pedestre pode alterar seu comportamento no trânsito e diminuir os riscos de atropelamentos. Uma das dicas é atravessar as ruas olhando para ambos os lados, respeitar os sinais de trânsito e utilizar faixas para pedestres sempre que disponível. Quando não houver, procurar outros locais seguros para atravessar, seja na esquina, em passarelas ou próximo a lombadas eletrônicas.

Além disso, antes de atravessar na frente dos veículos, o pedestre deve fazer contato visual com os motoristas para ter certeza de que foi visto. Nunca atravessar a rua por trás de carros, ônibus, árvores ou postes, pois a probabilidade de não ser visto é maior.

 

O pedestre também deve evitar utilizar o celular, seja para conversa ou troca de mensagens, enquanto está no trânsito. Um pedestre distraído ou alcoolizado pode causar graves acidentes.

 

Dicas para motoristas

 

A boa convivência entre condutores e pedestres depende do respeito aos direitos e deveres de cada um e às regras de preferência. Por esse motivo, o condutor, na proximidade de pedestres, deve reduzir a velocidade e redobrar a atenção. Além disso, não induzir o pedestre a atravessar mais rápido: se caso o pedestre já tenha iniciado a travessia e, durante esse tempo o semáforo mudar, o pedestre tem a prioridade para concluir a travessia.

 

O condutor deve ser gentil e facilitar a travessia, quando houver faixa sem sinal luminoso, a preferência é do pedestre. Nunca pare na faixa.

 

Outra dica é evitar buzinar o tempo todo para pedestres. Isso só causa stress e sustos desnecessários, o que pode comprometer a segurança.

 

O que facilita muito no trânsito é se colocar no lugar do outro, por isso o condutor devem lembrar-se que, na condição de pedestre, o condutor também se sente vítima da intolerância de outros condutores.

 

 

Fonte: Portal do Trânsito

 

 


Comente:

Nenhum comentário foi encontrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!