Podemos construir um mundo melhor, isso só depende de cada um de nós.


RJ: delegado é destituído após criticar mulheres policiais no Twitter

O delegado Pedro Paulo Pontes Pinho, da 9º DP (Catete), no Rio de Janeiro, publicou nesta segunda-feira em seu perfil no Twitter uma série de críticas a funcionários da Polícia Civil do Rio de Janeiro Foto: Twitter / Reprodução

 

O delegado Pedro Paulo Pontes Pinho, da 9º DP (Catete), no Rio de Janeiro, publicou nesta segunda-feira em seu perfil no Twitter uma série de críticas a funcionários da Polícia Civil do Rio de Janeiro
Foto: Twitter / Reprodução

 O delegado Pedro Paulo Pontes Pinho, titular da 9ª DP (Catete), no Rio de Janeiro, publicou nesta segunda-feira em seu perfil no Twitter uma série de críticas a funcionários da Polícia Civil do Rio de Janeiro. Após fazer comentários negativos sobre o trabalho das mulheres de sua equipe, o policial foi destituído do cargo e substituído pela delegada Monique Vidal, ex-titular da 12ª DP (Copacabana), 13ª DP (Ipanema), 28ª DP (Campinho), 17ª DP (São Cristóvão) e da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

Segundo nota da corporação, a justificativa para a troca é que "o delegado tem dificuldades em gerir os recursos humanos que lhe são disponíveis". O comunicado explica, ainda, que a chefe da Polícia Civil, Martha Rocha, escolheu pessoalmente o nome de Monique para o cargo por sua "trajetória como mulher policial". A decisão confronta os comentários de Pinho, que considerava apenas uma, das 14 mulheres do seu efetivo, capaz de exercer a função. Ele será investigado pela Corregedoria Interna de Polícia Civil (Coinpol) por escrever no Twitter durante seu horário de trabalho.

"Tenho 14 mulheres no meu efetivo, mas apenas uma, uma apenas, reúne talento coragem e disposição para encarar a atividade policial", escreveu Pinho, que se identifica no microblog como "Polícia e Poesia". "E essa uma, entre 14, jovem ainda, não tem nenhum homem que a supere. A mulher quando é boa no que faz ninguém supera, mas o contrário...", completou.

O delegado também criticou os funcionários da Polícia Civil. "Se inscrevem num concurso policial como se fosse uma vaga num escritório, só depois se dão conta do salário, plantões, riscos, cobranças..", escreveu. Ele citou subordinados para exemplificar: "do efetivo da 9DP, 21 (ou 42%) não possui qualquer vocação para a atividade policial. Alguns destes teriam dificuldade num emprego comum", disse.

Após a repercussão do assunto, Pinho escreveu que não era sua intenção fazer um ataque às policias. "Não fiz o menor ataque às mulheres policiais, mas uma constatação, aliás destaquei uma delas que é inseparável", postou. "Se mesmo assim, alguma mulher, especialmente policial, ficou ofendida, minhas sinceras e humildes desculpas". "Estava particularmente chateado com a policial que deu causa a isso tudo que faltou ao trabalho hoje, mas estava aqui tweetando..", completou.

 

Fonte: Terra


Comente:

Nenhum comentário foi encontrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!