Podemos construir um mundo melhor, isso só depende de cada um de nós.


Retomada do programa "Visão para Todos" renova a esperança de pacientes que aguardam cirurgias

Da Redação
Agência Amapá

 

O lançamento oficial do programa "Visão para Todos" acontecerá na próxima quarta-feira, 27, a partir das 9h, no Teatro das Bacabeiras, com a presença do governador Camilo Capiberibe e de segmentos da população.

O Governo do Estado, sensível à questão, antecipa o início das primeiras cirurgias de catarata para este sábado, 23, por intermédio de um convênio que será assinado na quarta-feira entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e a Universidade Federal de Goiás (UFG). A primeira etapa das cirurgias ocorre de 23 deste mês a 2 de março. A estimativa é de que sejam realizadas até 300 cirurgias de catarata/mês, com o objetivo de atender cerca de três mil pacientes em dez meses.

A notícia anunciada pela Sesa do retorno definitivo do programa Visão para Todos também já antecipa a felicidade de muitas pessoas vítimas de catarata que aguardam por uma cirurgia – muitos deles há mais de cinco anos.

O autônomo Paulo Pinheiro de Souza, 57, morador do bairro Novo Horizonte, espera há mais de cinco anos por uma cirurgia de catarata. Durante esse período, ele diz que nunca perdeu a esperança em ter a chance de recuperar a visão. Afirma que, aqui no Amapá, uma cirurgia de catarata chega a R$ 3 mil, por falta de dinheiro teve de adiar a chance de voltar a enxergar, haja vista que a doença já afetou completamente um de seus olhos.

"Essa notícia me enche de felicidade. Foi preciso um governador de palavra para chegar e fazer o projeto acontecer, porque eu passei o governo passado todinho andando para o Hospital Estadual de Clínicas Alberto Lima e não consegui minha cirurgia. Hoje, se eu tivesse uma oportunidade, daria um abraço no governador Camilo Capiberibe para agradecê-lo pela iniciativa de realizar o mutirão de catarata".

Paulo relata que a perda parcial da vista não permite que hoje ele faça coisas que adorava fazer antes, como dirigir carro, cortar comida e cozinhar. "Sou evangélico e, em minhas orações, peço a Deus todas as noites que o dia da minha cirurgia chegue logo".

As orações de Paulo Pinheiro são reforçadas pela aposentada Izoleide Nazaré da Silva, 75, que há cerca de quatro anos também espera por uma cirurgia de catarata. Ela, que reside no bairro Perpétuo Socorro, conta que se não fosse o apoio dos filhos a vida seria muito mais difícil com a visão parcialmente comprometida. Hoje, dona Izoleide fica triste e se emociona quando relata que não consegue mais enfiar a linha em uma agulha, costurar, cozinhar ou atravessar a rua sozinha.

A notícia da retomada do Visão para Todos trouxe o sorriso, ainda que tímido, de volta ao rosto da aposentada. "Esse será o meu maior presente de Deus, faz tempo que espero pela minha cirurgia para que possa recuperar minha visão de novo".

Izoleide conta que, para não perder a visão completamente, há cerca de dois anos recebeu ajuda financeira de amigos e familiares e pagou por uma cirurgia de catarata. Hoje, enxerga bem pouco e com dificuldades.

A história de Izoleide Silva não é diferente de Lúcia Figueiredo da Silva, 70, que mora no bairro do Trem. Ela também integra a lista das pessoas que farão cirurgia de catarata. Lúcia Figueiredo, a exemplo de centenas de pessoas que aguardam serem chamadas pelo hospital, também sonha com a sua cirurgia realizada. Ela perdeu completamente a visão do lado esquerdo em consequência de glaucoma há cerca de dois anos.

O aposentado José Machado da Silva, 64, bairro Santa Rita, acredita que desta vez fará a sua segunda cirurgia de catarata. A primeira ocorreu há mais de três anos. "Estou feliz e sei que, desta vez, farei minha segunda cirurgia, acredito na disposição do governador Camilo Capiberibe e o compromisso que ele tem com esse projeto".

Para a doméstica Maria Alves Rabelo, 67, moradora do bairro Brasil Novo, que enfrenta sérias dificuldades para enxergar, a notícia de que será chamada para a sua cirurgia nos próximos dias chegou como um presente dos céus. "Perdi a conta das vezes que fui até o hospital agendar minha cirurgia, mas nunca conseguia".

Na opinião da doméstica Paula Nobre da Silva, do bairro Santa Inês, o Governo do Estado, com a iniciativa, resolve definitivamente uma grande dívida social que tinha com esses pacientes. Paula também tem esperança de que, a partir da cirurgia, volte a enxergar novamente e tenha uma vida normal sem depender dos outros. Hoje ela conta com a ajuda da filha Maria Osvaldina da Silva, que é uma espécie de guia para a mãe dentro de casa. Osvaldina não escondia a felicidade em saber que nos próximos dias sua mãe terá a chance de voltar a enxergar de novo.

A aposentada Luciana Sacramento Jardim, 77, que há cerca de três meses foi submetida a uma cirurgia de catarata pelo Serviço de Oftalmologia do Hospital Alberto Lima, está feliz. Sempre com sorriso no rosto, ela diz que, após a cirurgia, já voltou a estudar pelo sistema de Educação de Jovens e Adultos e a fazer coisas que antes pareciam impossíveis, como cozinhar e dançar. "Minha recuperação da vista tem sido gradativa, mas já melhorou muito, muito mesmo".

Luciana finalizou a entrevista relembrando que, à época do ex-governador João Alberto Capiberive, o Visão para Todos funcionava muito bem. "Fico feliz em saber que o filho dele, o governador Camilo Capiberibe, assume esse compromisso e reassume o projeto".

 

 

Edy Wilson Silva/Sesa

 


Comente:

Nenhum comentário foi encontrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!