Podemos construir um mundo melhor, isso só depende de cada um de nós.


Fim melancólico

Fim melancólico

03/12/2012 10:42

Faltando 28 dias para o término do ano de 2012, a morena Macapá tem enfrentados diversos problemas na ordem da gestão municipal, e cada vez temos a impressão que esses intensificam e agravam-se. Existe um provérbio popular que diz que em final de gestão até o café é servido frio, isso tem sido comprovado no fim melancólico da gestão do Prefeito Roberto Góes (PDT-AP) na Prefeitura de Macapá. Com o fim da eleição em 7 de novembro e a não reeleição do atual Prefeito da Capital do Amapá, os macapaenses tem visto a real situação da administração que governou por 4 anos a PMM.

 

O atual Prefeito de Macapá foi eleito em 2008, em um pleito eleitoral disputadíssimo, com virada diríamos “espetacular” para cima do candidato do PSB-AP o então Deputado Estadual Camilo Capiberibe, hoje atual Governador do Estado do Amapá, pois as pesquisas apontavam a vitória do PSB e do P-SOL naquela eleição. Roberto Góes elegeu-se Prefeito com uma campanha forte e com várias promessas que não se concretizaram durante os 4 anos de mandato, como as “12 razões para votar em Roberto Góes”, entre elas 100km de pavimentação por ano, construção de uma creche em cada bairro, concursos públicos, entre outras que não viraram realidade, ficaram apenas no papel.

 

Em 2012 o Prefeito retirou o Góes de seu nome durante a campanha, explorou muito a construção de moradias populares e a doação de cestas básicas e de material escolar aos alunos da rede municipal de ensino, contudo, a maquiagem não foi tão perfeita, e diferente do que os apoiadores e a equipe de coordenação de campanha do atual Prefeito propagavam, a eleição não acabou no primeiro turno. No segundo turno ele foi derrotado pelo Vereador Clécio Luis (P-SOL), o povo não perdoou o Prefeito Roberto Góes (PDT) como pretendia a campanha do mesmo.

 

Greve dos Agentes de Trânsito e Fiscais de Transporte da CTMac, recisões de contratos, exonerações sem aviso prévio aos exonerados, débitos com fornecedores e prestadores de serviço, como é o caso do transporte escolar dos alunos da rede municipal de ensino, falta de merenda nas Escolas, receita comprometida com 62% da folha de pagamento dos servidores municipais, o não cumprimento de acordos trabalhistas, Secretários pedindo exoneração dos cargos, ações judiciais contra a PMM e o Prefeito, inclusive pedindo o afastamento do mesmo, débitos com a ENTERPA e a CLEAN, são tantos os problemas que ficamos limitados a explorá-los aqui nesse espaço. Alguns afirmam na cidade, principalmente os moradores mais velhos, que essa atual gestão da PMM já superou e muito no que tange a uma péssima administração a do ex-Prefeito Azevedo Costa (PMDB), que havia sido a pior de todos os tempos em Macapá. Triste fim de gestão essa, é algo de difícil definição, e quase que ele consegue reeleger-se, foi por muito pouco, mas o povo optou por algo Novo. Agora devemos virar essa página melancólica de nossa história. Seja muito bem vindo 2013.

 

 

Alex João Costa Gomes – (Bacharel e Licenciado em História – UNIFAP 2011)

 


Comente:

Nenhum comentário foi encontrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!