Podemos construir um mundo melhor, isso só depende de cada um de nós.


Camilo Capiberibe reúne com deficientes para debater políticas públicas de inclusão social

Governador Camilo deixou que os associados da Adfap apresentassem suas principais reivindicações e garantiu que todas terão uma resposta

Da Redação
Agência Amapá

A acessibilidade foi o tema de uma reunião ocorrida na noite de quarta-feira, 27, entre o governador Camilo Capiberibe e integrantes da Associação dos Deficientes Físicos do Amapá (Adfap). Na verdade, essa foi a primeira vez que a entidade procurou o governo para debater políticas públicas de inclusão social.

 

Inicialmente, o governador Camilo Capiberibe, que estava acompanhado de secretários de Estado, deixou que os associados da Adfap fizessem uma explanação das suas principais reivindicações.

 

Basicamente, os deficientes físicos solicitaram um ônibus maior para o transporte deles, bem como a manutenção do mesmo, reforma da sede da entidade, cadeiras de roda adaptadas para o esporte, trabalho de conscientização nos órgãos públicos e com a sociedade em geral sobre os direitos da pessoa com deficiência, acessibilidade aos prédios públicos e, principalmente, capacitação para a inclusão no mercado de trabalho.

Após a explanação, foi a vez dos técnicos do governo se pronunciarem. A secretária da Inclusão e Mobilização Social, Cláudia Camargo Capiberibe, falou da linha de crédito Viver Sem Limite, criada pelo Governo Federal especificamente para os deficientes físicos, que tem como objetivo o incentivo ao empreendedorismo e colocou os técnicos do órgão à disposição para orientar a associação.

 

O secretário do Trabalho e Empreendedorismo, Silvado Brito, disse que será elaborado um projeto de capacitação a partir da necessidade dos deficientes, com o foco no mercado de trabalho.

 

No que se refere à saúde, uma das reivindicações diz respeito ao acesso dos cadeirantes à visita de pacientes no Hospital das Clínicas Alberto Lima. Sobre esse assunto, o secretário interino da Saúde, Robério Monteiro, anunciou que, dentro de 60 dias, o elevador estará funcionando.

Em relação à acessibilidade aos órgãos públicos, o governador Camilo Capiberibe informou que todos os prédios licitados e construídos a partir de 2011 estão dentro do que determina a lei; os que as obras foram retomadas, não seguiam a determinação. Alguns puderam ter o projeto original modificado e outros, após a conclusão das obras, serão adaptados.

 

"Todas as reivindicações foram devidamente anotadas e terão uma resposta. A capacitação deve ter um encaminhamento mais rápido, porque a Sete já tem algumas ações nesse sentido", comentou o governador.

 

O presidente da Adfap, João Bosco Jr., afirmou que saiu entusiasmado da reunião. Reconheceu que a instituição demorou para procurar o governo, mas que sentiu o desejo de todos em ajudar.

"A partir de agora vamos poder cobrar ações. Antes desse encontro, o governador Camilo não sabia das nossas prioridades", declarou.

 

Núcleo de Jornalismo/Secom


Comente:

Nenhum comentário foi encontrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!