Podemos construir um mundo melhor, isso só depende de cada um de nós.


Sorria: e viva sem estresse

20/05/2013 07:03

                         

Hábitos saudáveis e riso são antídotos para se adquirir boa qualidade de vida e evitar sofrer com pressões do dia a dia

 

“A alegria evita mil males e prolonga a vida”, já dizia William Shakespeare. O riso é um dos grandes antídotos contra a amargura da vida, e o cansaço que a infelicidade trás. Dizem os estudiosos que os outros nos veem da mesma forma com que projetamos nossa imagem no espelho. Portanto, se demonstramos nossa melhor face e assim comportamos certamente nossa alma vai criar à nossa volta um ambiente melhor e mais leve. Então, “sorria, meu bem, sorria”, já se cantarolava por aí.

 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é viável analisar a qualidade de vida de um indivíduo, verificando-se o grau de satisfação que este apresenta durante a sua vida, em diversos campos, levando-se em consideração as relações sociais, a sua segurança, recursos financeiros, divertimento, nível de independência e a sua espiritualidade. Deste modo, ainda que subjetivo, a qualidade de vida é um conceito que engloba o modo como o individuo se vê em seu contexto e nos valores nos quais ele está inserido. Assim, se a alimentação balanceada é fundamental, não podemos deixar de lado outros hábitos saudáveis como a prática de esportes, o sono e descanso adequados, o ambiente de trabalho agradável, a convivência harmoniosa no dia-a-dia, o bom humor,

 

Sorrir é contagiante e bom para a saúde. O riso é relaxante. Quando sorrimos estamos utilizando, na verdade, 17 músculos, enquanto para franzir a testa são 43 músculos. A Medicina conceitua o estresse como uma série de reações fisiológicas que ocorrem no organismo de uma pessoa. Ele pode ser crônico, ou seja, é desencadeado pelo estilo de vida da pessoa (sobrecarga de estudos ou trabalho, ansiedade constante, desorganização nas atividades diárias, trânsito, falta de descanso, alimentação incorreta, etc.) ou agudo, causado por preocupações momentâneas. O resultado deste quadro é uma desordem no funcionamento do organismo (além das consequências psicológicas) incluindo aumento da pressão arterial, dores musculares e alterações na pele.

 

A vida possível de ser vivida

 

A nutricionista Naiara Rochet esclarece que “a alimentação, em conjunto com outros fatores como lazer e descanso, pode ajudar a prevenir ou combater o estresse. Em uma situação como esta, o organismo sofre um desequilíbrio, há uma tendência em acumular radicais livres e em desregular os níveis hormonais.” Para ela os alimentos auxiliam diminuindo a concentração destes radicais livres e estimulando a liberação de hormônios anti-estresse, além de garantir a oferta de nutrientes necessários para a manutenção da saúde.

 

De acordo com a estudiosa Rochet, quando alguém está estressado, além de acumular radicais livres, tende a perder nutrientes. Assim, é importante manter uma alimentação saudável, rica em vitaminas, minerais e antioxidantes, evitando alimentos gordurosos, com muito sal ou açúcar. “Os cereais integrais mantêm os níveis de açúcar no sangue mais constantes, evitando a resistência à insulina causada pelo estresse e que pode levar ao desenvolvimento de diabetes. Além disso, estes cereais são ricos em fibras, diminuindo os prejuízos que o estresse provoca à saúde gastrintestinal (desregula a motilidade, a secreção de muco e ácidos gástricos). Alimentos que estimulam a produção de serotonina também auxiliam no combate ao estresse, pois promovem a sensação de bem estar. O chocolate e os alimentos fonte de proteínas (carnes, leites, etc.) são alguns exemplos. Os chocolates escolhidos devem conter maior quantidade de cacau (acima de 70%) e menor quantidade de açúcar.”

 

Rochet destaca que outros nutrientes importantes devem ser observados no combate ao estresse a exemplo: ácido fólico, cálcio, magnésio, zinco, vitaminas do complexo B, vitamina C, selênio e ômega-3. “Este conjunto regula o funcionamento do sistema nervoso e atua contra os radicais livres. Os chás com efeitos calmantes também são benéficos, assim como os alimentos fortalecedores do sistema imune (gengibre, alho, açafrão, própolis, mel, etc.). Se alimentar nos horários corretos evita os picos de cortisol no organismo e diminui o estresse. Além disso, comer a cada três horas e ingerir água na quantidade ideal pode diminuir a ansiedade e contribuir para a manutenção da saúde.” Acrescenta ela que “alimentos que contêm grande quantidade de sal, açúcar ou gorduras favorecem a situação de estresse, além de permitirem o desenvolvimento de doenças crônicas. Pessoas sensíveis à cafeína e outros estimulantes também se atrapalham nesta situação por alterarem o funcionamento do sistema nervoso. O consumo de bebida alcoólica e o fumo são outros fatores prejudiciais.”

 

O segredo

 

O livro O segredo, de Rhonda Byrne vendeu milhões de exemplares no mundo mostrando que tudo o que funciona no universo está baseado na Lei da Atração. O que pensamos, o que imaginamos, tem o poder de se transformar naquilo que queremos. E se queremos uma vida tranquila, deixemos as velhas carpideiras de lado, vendo tudo com pessimismo, e colhamos os frutos de pensamentos positivos para uma vida mais saudável e sem estresse. Antônio dos Santos, 65 anos, profissional liberal, diz que “é preciso apaixonar-se pela vida, pois só assim veremos que os momentos mais preocupantes vão se transformando aos poucos em um profundo rio de pequenas alegrias”. Depois que teve os cinco filhos, hoje todos na faculdade, Santos decidiu a viver uma vida mais tranquila. Pensando na aposentadoria ele adquiriu também uma previdência privada para poupar e começar a desfrutar mais a vida. “Agora que os filhos estão praticamente criados, quero viajar bastante junto com Célia, minha esposa.”

 

Distanciado do tempo mecânico, o homem de hoje se vê no meio de tantas inovações tecnológicas, pacotes intensos de informações, que se torna difícil processar tudo rapidamente. A revolução tecnológica trouxe também uma revolução interna, onde é preciso acelerar esse tempo mecânico que outrora era mais suave. A vida aquietada e cheia de tensões acaba levando a esse mal típico dos dias modernos. Antônio dos Santos assevera que “esse cansaço físico e mental surge em função dos constantes excitações físicas, mentais e psicossociais, prejudicando a sua saúde e deixando passar momentos bons que não retornam mais”. E complementa ele: “Pratico tênis nos finais de semana para recarregar as energias.”

 

Kleber Toledo, delegado de polícia em Goiânia, gosta de praticar esportes para aliviar as tensões do trabalho. Ele adotou o aikido, arte marcial que visa o equilíbrio do corpo e da mente. Para o delegado “a prática de atividade física não deve ser uma obrigação, mas um prazer para manter o bom funcionamento do organismo e a boa disposição para o dia seguinte”. Aliada ao esporte, a alimentação correta aumenta a disposição, o bom humor, a longevidade, a alegria de viver, instrui Toledo.

 

Vários livros de autoajuda são encontrados no mercado dando fórmulas mágicas simples para uma vivencia mais feliz. É unanimidade dos autores dizer que é preciso programar as tarefas para não perder tempo e poder relaxar entre uma atividade e outra. Também, não podemos depositar nos outros a nossa felicidade. Manoel Sousa Ferro, 35 anos, desportista, português que vive há mais de 20 anos no Brasil e alguns meses em Goiânia dá a dica: “Se queremos a felicidade temos de buscá-la, sabendo sempre que a vida é uma procura, e parar com as comparações: o que o outro é, ou o que o outro tem. A competição deve ser saudável e não doentia.” Ferro adiciona que “a prática de exercícios de forma regular e uma alimentação balanceada são fatores decisivos para condicionar o organismo a relaxar melhor, causando menor impacto diante os fatos que às vezes nos cansam no dia-a-dia”.

 

No pensamento de Nietzsche, a imperfeição é um traço distintivo de nossa espécie. Passamos grande parte de nosso tempo corrigindo os nossos erros ao invés de construirmos coisas de valor. Neste contexto, é preciso, pois, sermos mais humildes e termos consciência de que podemos nos aprimorar, sem, contudo, buscarmos os defeitos, mas as qualidades. Para o filósofo é necessário achar metas, objetivos, um sentido de vida, para poder superar as adversidades e seguir adiante. Somente deste modo, sabendo aonde se quer chegar é possível entender que a felicidade é composta de momentos, ela é frágil e volátil, e este é seu real valor.

 

Lembrando Chico Buarque “eu sei que o sonho era bom porque ela sorria até quando chovia.”

 

Fonte: Diário da Manhã / Bruno Lisita

—————

Voltar


Comente:

Nenhum comentário foi encontrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!