Podemos construir um mundo melhor, isso só depende de cada um de nós.


Saiba como cuidar de sua moto para garantir segurança e desempenho

15/01/2017 10:13

 

Estar atento à bateria, aos pneus, vela de ignição, entre outros, é fundamental. E usar equipamentos de segurança é indispensável

Sensação de liberdade, facilidade e agilidade para deslocamento em vias com muito trânsito, economia. Esses são alguns dos pontos que fazem das motocicletas um veículo preferido entre muitos brasileiros. Na região Nordeste, por exemplo, o número de motocicletas que circulam pelas ruas é altamente elevado. Mas como qualquer outro veículo, as motocicletas precisam de manutenção também para a garantia da segurança de seu condutor  (além é claro dos equipamentos de segurança que todo o motociclista deve possuir).

O OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária elenca, abaixo, 10 dicas para a manutenção de motocicletas. Confira:

  • Bateria – As motos mais modernas possuem bateria que não exigem manutenção nem precisa da complementação de água. Ela é selada e tem uma espécie de bolinha que permite a verificação do nível. Se não houver essa possibilidade de verificar, pode-se utilizar um multímetro. No caso de a bateria requeres que a água seja completada, ela deve ser retirada (desde que com as ferramentas adequadas). Para isso deve-se sempre seguir as determinações do manual do proprietário. Em seguida, retirar as tampas e completar com água destilada. Água comum nunca deve ser usada, já que ela possui componentes que aceleram a corrosão da bateria, reduzindo sua vida útil. Os polos da bateria devem, também, ser limpos com frequência para evitar a oxidação. E a carga, deve ser medida para evitar descarregamento.
  • Cabos – Para que não se rompam, os cabos de freio, embreagem e acelerador devem ser lubrificados, já que o rompimento causaria acidente. É preciso, além disso, estar sempre atento para que a regulagem esteja correta. Nesse cenário vale também destacar a importância de verificar os cabos das velas, porque sua oxidação pode ocasionar problemas ao rendimento e ao consumo da moto.
  • Correntes – Na manutenção da moto, a corrente não pode ficar folgada, porque isso pode causar um acidente. Ela deve ser lubrificada e regulada com frequência. O ideal é verificar a cada troca de óleo. Isso sem contar que é possível fazer uma breve análise todas as manhãs antes de sair. Para ter certeza de que tudo está correto, basta verificar no manual quantos centímetros de folga é permitido para o modelo da sua moto.
  • Filtro de ar – O filtro do ar é responsável por filtrar as impurezas contidas na estrada ou cidade, impedindo que elas entrem no motor. Alguns filtros são descartáveis e outros podem ser removidos e lavados. Você pode descobrir qual é o tipo de filtro de ar que sua moto utiliza olhando no manual. No caso de precisar lavar, água e detergente líquido neutro são suficientes.
  • Freios – Os freios são parte importante de qualquer veículo e devem ser constantemente verificados. Se tratar-se de freios a disco, eles podem ter seu desgaste analisado a olho nu. Se forem freios a tambor, devem ser removidos e analisados com cuidado. Vale ressaltar que freios a tambor com lonas costumam apresentar ruído. Para evitar isso, é preciso desgastar as partes que se sobressaem com uma lixa ou verificar a elasticidade das molas. Sobre as lonas, há uma seta que você pode verificar o desgaste. Para evitar problemas, é necessário fazer a regulagem. Já os freios a disco requerem a troca do fluido de freio, o que, geralmente, pode acontece de dois em dois anos. Pastilhas de freio desgastadas, é bom lembrar, comprometem os discos, causando dificuldades na frenagem, podendo causar acidentes.
  • Óleo do motor – O óleo do motor, na maioria das motocicletas, ajuda também a lubrificar o câmbio. O recomendado é identificar no manual o período de tempo para a troca de óleo. Em casos onde a moto é usado com muita frequência (de um motoboy, por exemplo), é importante analisar a condição de uso severo, que, muitas vezes, pode reduzir pela metade o intervalo para troca do óleo do motor. O óleo de boa qualidade garante mais durabilidade para o motor. O manual especifica qual deve ser usado. Além disso, você deve escolher o semissintético ou sintético, porque  contribuem para aumentar a performance do veículo, que deve ser lubrificado com frequência, de preferência a cada 200 km, analisando se o nível está entre o mínimo e o máximo. É importante lembrar de que o óleo sempre deve ser checado com o motor frio. Para evitar que impurezas se misturem ao novo óleo, recomenda-se também trocar o filtro de óleo a cada substituição, porque ele pode armazenar óleo queimado e sujo.
  • Pneus – Um pneu careca pode causar um grande acidente. Já um pneu furado fará com que você tenha que carregar a moto até uma oficina para trocá-lo. Nesse ponto, a moto tem uma desvantagem, já que não existe estepe. Ainda assim , é aconselhável que você confira a calibragem toda semana, toda vez que abastecer e a cada troca de óleo se ele for um pneu sem câmara. Para pneus com câmara, o melhor é ter o “macarrão” ou “fraldinha” nos aros. Confira sempre também os sulcos do pneu. Calibrar os pneus quando eles estão frios, é mais indicado porque, em contato com o solo, a máquina identifica uma pressão mais alta. Por isso, o melhor é ir a um posto próximo para que eles não esquentem muito, calibrando o necessário. Por fim, deve-se analisar a validade do pneu, que geralmente é de cinco anos. Passado esse prazo, o pneu perde o grip e a chance de um acidente é maior pela falta de atrito.
  • Vela de ignição – A combustão que inicia o motor é permitida pela vela que, consequentemente, faz a moto andar. No caso de estar gasta, ela provoca perda de potência do motor, aumento do consumo e da emissão de poluentes. Sendo assim, é importante fazer sempre a troca antes que estraguem. Verifique no manual da sua moto quando é a hora certa para trocá-las. Além disso, recomenda-se analisá-las a cada 3 mil km.
  • Óleo de bengala – Ele é responsável por manter a estabilidade e a dirigibilidade da moto. O manual recomenda quando deve ser trocado, mas, por precaução, vale a pena substituí-lo antes do prazo. Também é importante colocar o nível exigido pelo fabricante, porque isso impacta o consumo da moto.
  • Rolamentos – A lubrificação dos rolamentos assegura um rodar macio e melhora a dirigibilidade. Se a manutenção não for correta, a roda pode travar em algumas situações, ocasionando acidentes.
 
 
Fonte: Observatório Nacional de Segurança Viária
 
 
 
 

—————

Voltar


Comente:

Nenhum comentário foi encontrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!