Podemos construir um mundo melhor, isso só depende de cada um de nós.


Pela dignidade dos Bombeiros e Policiais Militares do Maranhão

27/01/2013 10:32

 

“Não necessitamos da promessa de um final feliz para justificar a nossa rejeição a um mundo que sentimos está equivocado”

(John Holloway, Mudar o mundo sem tomar o poder.)

 

Este pequeno manifesto pretende levar a público as ideias e proposta do embrionário movimento dos Bombeiros e Policiais Militares do Maranhão. Somos voluntários, ordeiros, autônomos, horizontal, apartidário e combativo na luta por nosso direito e cumpridor do nosso dever expresso na legislação vigente. Estamos inseridos nas lutas populares, sociais e estudantis pela construção de um aparato de segurança que sirva a sociedade e não os interesses de governos.

 

O movimento dos Bombeiros e Policiais Militares do Maranhão surgiu por estarmos cansados de ver o governo tratar com desprezo o servidor público militar, onde o exclui nas politicas públicas de valorização profissional, determina aos comandantes das instituições que não respondam aos apelos da tropa por melhores condições de trabalho, quebra o acordo em razão da ultima paralisação e como maior afronta a nossos direitos quer monopolizar a Comissão Paritária de Segurança, expulsando nosso representante de classe, por não ser subserviente ao governo.

 

Presenciamos uma forte crise na segurança pública, que pode tanto encaminhar-se para uma renovação, criação de novas alternativas de organização e atuação, que é o que propomos, como pode direcionar ao caos. Os militares estão no centro desta problemática com propostas de desmilitarização e unificação. Contudo o governo nos ignora, subtrai nosso direito a cidadania, escraviza-nos numa carreira sem perspectivas regular de ascensão, com baixos salários, insuficiência de materiais operacionais, unidades e equipamentos de serviços em péssimas condições sanitárias ou sem condições de uso, etc., o que cria um cenário de desmotivação e afastamento do serviço operacional. Se isso não fosse o bastante, persegue as lideranças que buscam alertar a sociedade das dificuldades que passa o seu aparato de segurança.

 

Não é de hoje que o governo compra as principais representações para fingirem que nada está acontecendo e limitar-se a fazer política de gabinete. Usando os recursos em beneficio próprio, quando não para financiar suas campanhas políticas no futuro. Esquecendo os anseios da população e do funcionalismo público. Tudo isso ocorre porque as bases, ou seja quem executa o serviço para a comunidade, não possuem voz e oportunidade de participar nas decisões de destinação dos recursos das instituições, funcionando apenas como massa de manobra para a oprimir ou dar desculpas pela ineficiência do poder público.

 

Diante destes fatos, vemos grupos que insistem em transformar a realidade através de entidades representantes de classe que buscam alertar a sociedade e guiar os demais militares as mudanças a tempo almejadas. Também encontramos os que lutam através de sua eleição para cargos públicos eletivos na política partidária. Como se fosse possível resolver os problemas mediante tal messianismo, sem antes, unir e politizar.

 

É válido reconhecer que tudo contribui na luta contra as associações pelegas e contra as arbitrariedades do governo em relação aos servidores militar do Maranhão, assim como é valido deixar claro que é uma iniciativa que insiste em reproduzir os meios de organização tradicional. Essa é uma direção que alguém dita as regras e as bases seguem.

 

E por último, se encontram nos, autônomos, independentes, associados e apartidários.

 

NOSSA PROPOSTA

“as três flores da esperança

Liberdade: Diz o velho Durido que liberdade é como o amanhecer. Alguns o esperam dormindo, mas outros acordam e caminham a noite para alcança-lo. Eu digo que nós somos viciados em insônia e deixamos a história desesperada.

Luta: o velho Antônio dizia que a luta é como um círculo. Pode começar em qualquer ponto, mas nunca termina.

História: a história não passa de rabiscos escritos por homens e mulheres no solo do tempo. O poder traça seu rabisco, elogia-o com escrita sublime e o adora como se fosse a única verdade. O medíocre limita-se a ler os rabiscos. Passa o tempo todo preenchendo paginas. Os excluídos não sabem escrever...ainda”.

 

Josimar de Oliveira Mendonça – Bombeiro Militar - 2º GBM

Coordenador Administrativo da ASSEPMMA

—————

Voltar


Comente:

Nenhum comentário foi encontrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!